YAM MEXICANO

Artigo por plantasquecuram

Introdução

Dioscorea villosa

Cada vez mais tomado como remédio para aliviar sintomas da menopausa, o inhame-bravo tem sido tradicionalmente usado para cãibras e dores musculares, sobretudo dores menstruais. Também se tem usado para tratar artrite inflamatória, incluindo a artrite reumatóide.

Descrição : Da família das dioscoreaceae, tambêm conhecida como inhame-selvagem ou ilhame bravo. É uma trepadeira perene com rizoma tuberoso cilíndrico, retorcido, marrom-pálido.

O caule e fino, lanoso, marrom-avermelhado com até 12 m de comprimento. As folhas são ovadas, geralmente alternadas, cordadas, com 6 à 14 cm de comprimento.

A página superior e glabrae a inferior, pubescente, sem cheiro; Flores pequenas amarelo-esverdeadas, as femininas, em racemos espigados pendentes e as masculinas em paniculas curvadas pendentes. Não apresenta frutificação; O gosto inicialmente e insipido e depois acido.

Ha mais de 500 espécies de Dioscorea no mundo inteiro. Uma espécie chinesa, Dioscorea opposita Thunb., é tambêm encontrada no mercado de ervas.

Parte utilizada: rizomas secos com a raiz.

Habitat : Nativa do sudoeste dos EE.UU. e Canadá. Hoje e cultivado em várias regiões tropicals e subtropicais e temperadas do mundo.

História : O inhame selvagem foi popularizado pelo movimento médico eclético no século XIX por suas propriedades antiespasmodicas. Mais recentemente, tornou-se um fitoterapico para o alivio da náusea na gravidez, e para a amenorreia e a dismenorreia; No Mexico, de 1950 até os fins dos anos 70 era a única fonte de hormonios sexuais para a produção de pilulas anticoncepcionais; é usado industrialmente como agente ativo na meia-sintese de hormonios esteroides. Faz parte da Farmacopeia Homeop''tica.

Plantio : Multiplica-se por sementes em qualquer tipo de solo, ou por mudas plantadas no outono e inverno.

Origem : Europa, originária das regiões frias da Noruega e Rússia. Seu nome tem raiz indo-européia e significa "junco"

Indicações

Cãibras e dores reumaticas - O inhame-bravo pode dar alívio em qualquer situação em que os sintomas principais sejam cãibras ou tensão muscular. A combinação da ação antiespasmódica com a ação anti-inílamatória ajuda a acalmar problemas tão diversos como cólicas intestinais, dores na bexiga, dores menstruais e nos ovários e espasmos musculares resultantes de inflamação crônica. Em muitos casos, os melhores resultados obtêm-se combinando o inhame-bravo com outros remédios anti-inflamatórios ou relaxantes musculares, sobretudo o noveleiro (Viburnum opulus). Na osteoartrite e na artrite reumatóide, o inhame-bravo conjuga-se bem com anti-inflamatórios como harpagófito (Harpagopkytum brocumbens) e salgueiro-branco (Salix alba).

Sintomas da menopausa - O inhame-bravo é mais conhecido (e mais tomado) pelo alívio dos sintomas da menopausa. Dada a suaacção hormonal, há boas razões para pensar transpiração nocturna e sono fraco, embora seja provável que os compostos esteróides presentes no inhame-bravo não sejam transformados nas hormonas activas do corpo humano que o tornariam eficaz para os sintomas da menopausa; talvez o mecanismo seja outro. Segundo a maioria dos especialistas, deve tomar-se o extracto durante várias semanas para ver se os sintomas se atenuam. Para problemas reumáticos e da menopausa, o inhame-bravo conjuga-se bem com o cohosh negro (Cimici/uga racemosà).

Creme de progesterona natural - O creme de progesterona de inhame-bravo, aplicado na pele cm vez de ingerido, tem tido muita publicidade enquanto tratamento para os problemas da menopausa. Os estudos clínicos não encontraram qualquer prova do alívio dos sintomas da menopausa, embora haja mulheres que inegavelmente sentiram alívio desses sintomas com o creme. Talvez seja enganador considerar este produto "natural", pois são precisos vários processos laboratoriais para transformar os seus compostos cstcróidcs em progesterona. Ainda não se encontrou nenhuma planta que contenha progesterona. Mas é verdade que as hormonas produzidas a partir de fontes naturais são mais facilmente usadas pelo coroo do que as produzidas sinteticamente.

Outros usos - Nas tradições ameríndias, o inhame-bravo usa-se para ajudar a impedir abortos espontâneos nas fases finais da gravidez e para aliviar as dores do parto. O inhame-bravo é também um remédio eficaz para o cólon irritável e a diverticulite, sobretudo se combinado com ulmeiro-da-américa (Ulmusjulva).

Propriedades : Usos etnofarmacológicos, antiinflamatorio, diaforetico, coleterico, fitohormônio.

Principios Ativos : Saponinas: dioscina (diosgenina agliconica); Alcalóides, soquinuclidinicos, dioscorina; Alcaloides pirridinais: dioscorine.

Superdosagem: É possível intoxicação com superdosagem por causa da dioscorina que tem efeito semelhante à picrotoxina. Em grandes doses pode causar náusea, vómito e diarreia.

Posologia: Adultos: Cápsulas de 200mg a 535mg, sendo a dosagem diária média 2g; Extrato líquido 250mg/ml, dose diária máxima em torno de 4 ml.

Interação medicamentosa: Há evidências que a diosgenina do Yam mexicano diminui o efeito antiinflamatório da indometacina pelo aumento da eliminação constante e diminuição (n) de seus níveis plasmáticos; O Yam mexicano tem efeito estrogenico aditivo quando administrado concomitantemente com outras drogas estrogênicas.

Farmacologia: Um grande número de investigações, sobre a composição química de outras espécies de Dioscorea foi realizado mas poucos dados recentes existem sobre a química da Dioscorea villosa; Como com muitas espécies do gênero Dioscorea, a Dioscorea villosa é uma fonte de diosgenina. A diosgenina não é tipicamente encontrada em estado livre nas plantas mas ocorre geralmente como as saponinas dioscina e gracilina; A raiz do Yam mexicano é diaforética e expectorante em uma dose de 4 g e também é antiespasmódica. É usada como precursora sintética da cortisona e de hormônios esteróides encontrados nas pílulas anticoncepcionais. Embora a diosgenina que ele contém seja promovida como "progesterona natural", não há provas de que o corpo humano consiga convertê-la em estrogênio ou outro esteróide através do composto intermediário dehidroepiandrosterona (DHEA); Embora seja pouco provável que estas possam servir como veículos de "reposição de progesterona", a venda de DHEA como um suplemento "antienvelhecimento" foi extrapolado a Dioscorea por analogia; Estudo sobre as saponinas do ginseng mos-trou que o metabolismo destes compostos por micró-bios específicos no intestino pode melhorar substan-cialmente a captação de metabólitos pelo corpo. Pode-se postular um mecanismo similar de captação produzido por outras saponinas que também são mal absorvidas, tal como a dioscina. Mais investigações são necessárias para compreender a farmacodinâmica de plantas que contêm saponinas em seres humanos. Em um modelo com cobaias, a diosgenina diminuiu a inflamação intestinal causada pelo uso de indometacina; A diosgenina mostrou, em modelos com cobaias, aumento notável na produção biliar de colesterol e estruturas lamelares lipídicas. Também apresentou um efeito citoprotetor no fígado de cobaias submeti-das a colestase obstrutiva; A diosgenina tem efeito estrogenico no epitélio mamárío de cobaias. Animais ovarioectomizados que receberam doses entre 20 e 40mg/kg por dia, durante 15 dias, apresentaram índices de desenvolvimento mamário. Quando a diosgenina foi associada ao estrogênio, houve aumento do efeito estrogênico. Em um estudo piloto com mulheres que usam produtos de inhame selvagem (Dioscorea villosa ), encontrou-se que a síntese do progesterona parece ser suprimida quando comparado com os controles. Nenhum efeito direto do extrato de inhame selvagem nos receptores hormonais estrogênicos ou de progesterona foi encontrado.


Referências

Conteúdo encontrado em:

http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/yam-mexicano.html
photo Artrite

Artrite

Doença

A artrite é a inflamação das articulações, em sentido amplo: é conjunto de sintomas e sinais resultantes de lesões articulares produzidas por diversos motivos e causas . As artrites são um tipo de reumatismo portanto é estudado pela reumatologia. Raramente tem uma origem conhecida mas todas envolvem fatores genéticos, orgânicos, ocupacionais e ambientais. São mais comuns em adultos e idosos....Mais